Discurso direto
Se abraçares o tronco de uma árvore…
Francisco Duarte Mangas

Se abraçares o tronco de uma árvore, podes, por esse gesto natural, saber-lhe a idade. Gesto íntimo, sabedoria antiga. Ler, devagar, como cingir a árvore e sentir um coração de seiva, é gesto afectuoso. As palavras são animais insubmissos – como gatos, por exemplo. Abrigam-se na tua casa, não te reconhecem. Se desejas viver o silêncio que as vivifica, só uma forma parece eficaz: junta-te às palavras. E uma aventura intransmissível leva-te ao bosque, a essa extraordinária floresta que os livros iluminam. Pisas a armadilha, como animal silvestre ao amanhecer. Preso ou encantado? Encantado, armadilha aqui não é laço de caçador furtivo. Encantado, viageiro encantado na floresta de animais sensíveis: pronunciam o princípio e o fim das coisas, o limpo e o impuro. Que agradável é o prazer da leitura quando nos traz (de novo) a alegria da revolta!

Deixe um Comentário

*