Exposição
Afeganistão 2002
Ana Luísa Rego

O presente trabalho surge na sequência de uma missão em nome dos Médicos do Mundo/Médicin du Monde, no Afeganistão do pós guerra (2002).

Num país devastado por vinte e três anos de guerra, clausura e seca, a diversidade cultural, linguística e étnica sublimam a singularidade de um povo que emergiu de uma força comum.

Dos caminhos de Herat a Chaghcharan (capital da província de Ghor), da vivência diária nos campos de refugiados, à reconstrução física de um Hospital, 6 meses de trabalho humanitário permitiram captar momentos e olhares, efémeros, mas plenos de verdade. Por trás das paredes, das burqas, das mesquitas, e de tantos lugares “proibidos” ficam as palavras que as objectivas não podem ainda focar.

Este trabalho pretende ser um documento de vivências que espelham a preserverança  de um povo face às adversidades de uma quasi existência.

Deixe um Comentário

*