Novos Talentos FNAC Fotografia 2005
BEIRUTE-DAMASCO
TEXTO DO JÚRI

No seu périplo de três semanas pelo Líbano e Síria, Rui Tremoceiro manteve uma distância decorosa com as cenas de rua que fotografou. Perante estas imagens, o espectador é um observador quase neutro, sem  uma ligação emocional com a realidade que se desenrola perante os seus olhos. Apenas numa imagem, tirada de um plano elevado, somos confrontados com o olhar directo de uma criança, que nos espreita entre duas raparigas mais velhas. 

Reconhecemos nestes quotidianos as supostas contradições das sociedades do Médio Oriente – numa sala de espera, uma rapariga vestida segundo a moda Ocidental, de óculos na cabeça e maquilhada conversa com uma mulher coberta com o tchador da cabeça aos pés. Do corpo desta mulher, apenas são visíveis dois dedos nus –o resto é impossível apenas se imagina. As questões que nos colocamos sobre ela – Que idade terá? Será bonita? Será gorda? De que cor são os olhos? – remetem não só para a condição da mulher no Médio Oriente, como também para as obsessões com a imagem, o corpo e a aparência, características da sociedade em que nos movemos. 

Em 2005, este ensaio sobre o mundo oriental valeu ao fotógrafo uma menção especial do Júri do Prémio Novo Talento Fnac Fotografia.