Exposição
ROSTOS DO HUMANO – TIMOR
Fotografias de Pedro Sottomayor

Tive o grato prazer de conhecer o fotógrafo Pedro Sottomayor numa acção cultural realizada em Timor, em 2007, conjuntamente pelo Instituto Camões e pelo Centro Juvenil Padre António Vieira num curso de fotografia para jovens timorenses. 

Deste resultou um despertar consciente das capacidades inerentes a esta juventude carente de actividades lúdico-culturais, portadora de uma extrema sensibilidade artística de um modo geral e, em particular, para a música e para o desenho.

Com paciência e determinação, Pedro Sottomayor soube activar essa tendência natural dirigindo a virgindade do olhar para a fotografia.

As intensas vivências políticas dos últimos anos poderão centrar a opinião pública no evoluir político-económico-social de um jovem País, colocando num patamar menos divulgado as inúmeras possibilidades de uma juventude nada e criada numa cultura multifacetada, que se pretende seja identitária e afirmativa da diferença, preservando-se o multiculturalismo inerente à situação geográfica e à componente histórica. 

Nestas fotos poderemos admirar a captação do momento, fugaz no tempo mas que perdura na nossa memória: rostos únicos, olhares profundos iniciadores de um diálogo connosco, um convite a admirar mas também a que indaguemos o nosso próprio ser, o nosso lugar nesta miríade de vivências múltiplas, caracterizadora da nossa época.
A aspiração de liberdade, a vontade de afirmação, o orgulho contido, a serenidade do tempo vivido, a elegância discreta de uma ruga sulcando a pele estão representados nestas fotos, espelham todo um Povo.

No fundo, a humanidade presente, marcante, vínculo telúrico inquebrável mesmo quando o insólito irrompe nessa linguagem que se pretende permaneça serena.

O olhar do fotógrafo sobre um Povo ou a indagação desse Povo sobre cada um de nós? A etnografia e a tecnologia aliadas para nosso deleite e inquietação.

Maria de Fátima Mendes
Conselheira da Embaixada e Directora do Centro Cultural Português em Díli

Deixe um Comentário

3 Comentários
  • Cara Filipa Basílio,

    agradecemos o seu comentário e o interesse demonstrado pela FNAC.
    Relativamente àquilo que nos pede, estamos a reunir alguns dados sobre o autor das fotografias, e brevemente disponibilizaremos as informações solicitadas.

    Com os melhores cumprimentos,
    culturafnac.

  • Vi a exposição hoje! Fiquei tão entusiasmada que queria levar algumas comigo, com a certeza de que finalmente encontrei a sensibilidade e a natureza tão genuinamente retratadas… Enfim impossível levar para casa!
    Se possível, ou se tiverem alguma ideia por favor agradecia a vossa disponibilidade desde já, pois quero saber como posso adquirir algum exemplar destas fotografias.
    Contacto o autor? Para algum sítio?

    Obrigada, atentamente,

    Filipa basilio

  • Não é difícil gostar do Pedro, uma força da natureza, um homem bom cheio de bom gosto. E que transmite todo o seu ser, a sua sensibilidade, através da sua arte, a fotografia, que lhe corre nas veias. Através dos seus olhos tenho apreciado das mais belas imagens do mundo. Inesquecíveis as fotografias de Moçambique. E a reportagem de puro gozo que em tempos muito remotos fez com outro amigo do peito, o Tito Baião, num passeio memorável pelo rio Coura, que desaguou em Vilar de Mouros. Grande Pedro! Aquele abraço. Zé Gogo.

*