Exposição
SESSÃO TRUFFAUT
Uma viagem pela filmografia, personagens e vida do cineasta francês

François Truffaut foi um dos cineastas franceses mais famosos da Nouvelle Vague, um movimento artístico contestatário dos anos sessenta, do qual também fizeram parte outros nomes do cinema francês como Jean-Luc Godard, Jacques Rivette, Claude Chabrol e Eric Rohmer.

A exposição Sessão Truffaut é composta por imagens do espólio da família do realizador e da produtora MK2 e foi organizada pela FNAC Espanha em colaboração com a Taschen. Uma selecção que transmite a intensidade do cineasta em fotogramas inesquecíveis, fotografias desconhecidas e registos que revelam o olhar transformador de um génio que ultrapassou as fronteiras do próprio cinema.

François Truffaut

François Truffaut nasceu em 1932, filho de uma mãe solteira e de pai desconhecido. A ambígua relação com a mãe marcou-o para sempre e tornou-se uma das suas obsessões. Fugiu de casa muito jovem, refugiando-se, literalmente, nos cinemas, e depois de uma infeliz tentativa de montar um clube de vídeo, o seu padrasto enviou-o para um estabelecimento de correcção.

Mais tarde, André Bazin, crítico cinematográfico e fundador da revista Cahiers du Cinema, e sua esposa Janine ofereceram-lhe abrigo e trabalho. Em 1950, alistou-se no exército de onde desertou, acabando por ir parar à prisão, tendo sido, novamente, resgatado por Bazin. Em 1953 começou a escrever na Cahiers du Cinema. No ano seguinte, exibe a sua primeira curta, A Visita, e em 1959, a sua primeira longa-metragem, Os Quatrocentos Golpes, com a qual venceu o Grande Prémio no Festival de Cannes. A confirmação do seu talento aconteceu em 1962 com Jules et Jim.

Truffaut dirigiu um total de 21 longas-metragens, 3 curtas e escreveu os livros O Cinema como Hitchcock e Os Filmes da Minha Vida. A Pele Macia (1964), Fahrenheit 451 (1966), A Sereia do Mississípi (1969), O Pequeno Selvagem (1969), Domicílio Conjugal (1970), A Noite Americana (1973, Óscar para Melhor Filme Estrangeiro), Pele Dura (1976), A mulher da Casa ao Lado (1981) e Assim, no Domingo (1983) são alguns dos filmes mais conhecidos da sua prolífica filmografia.

François Truffaut morreu em 1984, aos 52 anos.

 

 

 

 

Deixe um Comentário

*