Novos Talentos FNAC Fotografia 2007
STILL MOVING FRAMES
VERA LÚCIA CARMO

Still Moving Frames nasceu de uma proposta para desenvolver o sonho fotograficamente. Desviei-me das interpretações das ciências sociais e optei por uma abordagem pessoal. Concentrei-me na forma como vivo a experiência de sonhar, o que normalmente resta dos sonhos, o que recordo e o que construo. Inicialmente pensei elaborar uma história, um storyboard porque, como todos nós, entrego-me sempre à tarefa de “contar os sonhos”, de ordená-los, de encontrar neles o início, o fim e a lógica. Porém, uma das características dos sonhos é não se prestarem a narrativas lineares. São fios ensarilhados, não existe passado, nem futuro, apenas sequências absurdas de “aqui e agora”. Encaro o sonhar como (des)codificar sensações em imagens. Essas sensações foram o ponto de partida…a fuga, o movimento, os ambientes e cenários que parecem desdobrarse uns nos outros perante os meus olhos.

A minha ideia evoluiu, então, para uma exploração do still frame, enquanto pedaço de uma (im)possível ficção, uma ficção sem tempo, espaço ou narrativa, uma ficção em fragmentos ou os fragmentos de várias ficções.

As imagens obedecem a uma exposição sequencial linear e a uma leitura interna circular, visto que a última imagem nos remete para a primeira. Formalmente o projecto assume o cinema, enquanto referente, mas também busca inspiração em artistas que trabalham a fotografia de um modo autobiográfico como Sophie Calle, Daniel Blaufuks, ou Duane Michels.

 

Ver fotografias de Vera Lúcia Carmo